Sábado, 18 de Novembro de 2017
 

Saúde dos Olhos

Médicos esclarecem questões sobre doenças oculares e dão dicas fundamentais para proteger os olhos no verão

A fim de esclarecer questões sobre a saúde dos olhos, os médicos oftalmologistas, Dr. Léo Carvalho e Gustavo Ribeiro, proprietários da CLÍNICA DE OLHOS (www.clinicadeolhos.org) explicam as causas, consequências e tratamentos de algumas doenças oculares.Os especialistas também dão dicas de cuidados com os olhos no verão, como a proteção contra os raios UVA e o uso correto das lentes.

 

Glaucoma, miopia, catarata, hipermetropia, olho seco são algumas das patologias oculares, as quais podem ser tratadas se diagnosticadas corretamente. Algumas doenças podem ser curadas totalmente com intervenções cirúrgicas e os oftalmologistas evidenciam como isso funciona, quais são os procedimentos de uma cirurgia e quem pode recorrer a esse tipo de tratamento.

 

No verão, o sol, a água do mar e o cloro das piscinas podem agredir aos olhos, os quais necessitam de cuidados especiais. Os adeptos das lentes de contato também devem redobrar a atenção, algumas informações essenciais são passadas pelos médicos.

 

 
 

Cuidados

Saúde, cuidados, patologia, dicas, dúvidas frequentes, pergunte ao médico

Abrimos esta seção lembrando que as ações preventivas podem evitar a maioria das doenças da visão. É preciso visitar regularmente o Oftalmologista.

Para as pessoas que têm problemas de visão ou que já passaram dos 40 anos, o ideal é que a consulta seja feita a cada seis meses. Dois em cada três casos de cegueira poderiam ser evitados caso houvesse a descoberta do problema em seu estágio inicial.

 

 

Cuidados Simples

 

• Frutas e verduras devem estar sempre presentes nas refeições.

• Lave as mãos antes de ter contato com os olhos.

• Um cuidado extra com cosméticos e maquiagem; use aqueles que não causam irritação.

• Cigarro também prejudica os olhos.

• Longos períodos em frente aos computadores são prejudiciais aos olhos. Faça intervalos de hora em hora, olhe para um ponto distante da tela e pisque algumas vezes. Nunca fique a menos de 50 cm da tela do monitor. A mesma coisa com relação aos televisores.

• Óculos escuros (de grau ou não) devem ser de boa qualidade, com boa proteção contra os raios ultravioletas, para que estes não prejudiquem os olhos.

Revise os óculos regularmente. Acompanhe os níveis de pressão arterial e de glicose no sangue.

• Acima dos 40 anos de idade, leve ainda mais a sério a freqüência ao Oftalmologista.

• Quem usa lentes de contato deve dar atenção especial à limpeza e ao uso dentro dos prazos estabelecidos.

 
 

Patologias

Saúde, cuidados, patologia, dicas, dúvidas frequentes, pergunte ao médico.
Ambliopia
Ambliopia, olho vago ou olho preguiçoso é uma disfunção oftálmica caracterizada pela falta de consolidação da acuidade visual com redução ou perda da visão num dos olhos, ou mais raramente em ambos, sem que o olho afetado mostre qualquer anomalia estrutural. Mais freqüente em casos de estrabismo e anisometropias.
 
 
Anisometropia
Anisometropia é o nome que se dá à condição em que o erro refrativo é muito diferente entre os olhos. Quanto maior a diferença existente, maior a possibilidade de causar transtornos na visão binocular e ambliopia.
 
 
Astigmatismo
O astigmatismo é uma deficiência visual, causada pelo formato irregular da córnea ou do cristalino, formando uma imagem em vários focos que se encontram em eixos diferenciados. Uma córnea normal é esférica. Nos casos de astigmatismo, a curvatura da córnea é mais ovalada, como uma bola de futebol americano. Este desajuste faz com que a luz se refrate por vários pontos da retina em vez de se focar em apenas um. Para as pessoas que sofrem de astigmatismo, os objetos ficam distorcidos.
As imagens ficam embaçadas porque alguns dos raios de luz são focalizados e outros não. A sensação é parecida com a distorção produzida por um pedaço de vidro ondulado. O astigmatismo é hereditário e pode ocorrer em conjunto com a miopia ou a hipermetropia. Um astigmatismo ligeiro pode desenvolver-se ao longo dos anos, devido à alteração da curvatura da córnea.
Pessoas que sofrem de astigmatismo podem corrigir sua visão com o uso de uma lente cilíndrica (que faz com que os raios de luz se concentrem em um plano único), com óculos ou lentes de contato. Podem, ainda, realizar cirurgia a laser ou o procedimento conhecido como ceratotomia astigmática.
 
 
Blefarite
Blefarite é uma inflamação não contagiosa das pálpebras. É normalmente caracterizada pela produção excessiva de uma camada lipídica (óleo), gerada por uma glândula encontrada na pálpebra, criando uma condição favorável para o crescimento bacteriano. Pode acarretar prurido, sensação de areia, queda dos cílios e, eventualmente, afetar a visão por lesão da córnea.
 
 
Catarata
A catarata é patologia dos olhos que consiste na opacidade parcial ou total do cristalino. É a maior causa de cegueira tratável em países em desenvolvimento. Pode ser congênita ou adquirida por vários fatores, como traumatismo, idade, Diabetes Mellitus, Uveítes, uso de medicamentos, etc..
Tipicamente apresenta-se como embaçamento visual progressivo. É uma doença conhecida há milhares de anos e sua cirurgia já é realizada há séculos. Atualmente, a técnica cirúrgica mais moderna para o tratamento da catarata, consiste da remoção do cristalino por microfragmentação e aspiração do núcleo, num processo chamado facoemulsificação, e posterior implante de uma lente intra-ocular.
A evolução da técnica permite hoje incisões muito pequenas, entre 2 e 3 milímetros, o que dispensa a necessidade de sutura e possibilitando assim, que o paciente seja submetido à cirurgia de catarata com anestesia tópica (apenas colírios), o que permite uma recuperação mais rápida, que costuma ocorrer em cerca de 1 mês após a cirurgia.
 
 
Ceratite
A ceratite é uma lesão na córnea, prefigurada pelo surgimento de pontos ressecados e esclerosados. Pode ter etiologia bacteriana, viral (ex.: herpes) ou fúngica.
 
 
Conjuntivite
A conjuntivite é uma inflamação da conjuntiva ocular, membrana transparente e fina que reveste a esclera (o branco dos olhos) e o interior das pálpebras. Em geral (60%) ataca os dois olhos, pode durar de uma semana a quinze dias e não costuma deixar sequelas. Pode ser de etiologia viral, bacteriana (contagiosas) ou alérgica.
 
 
Degeneração Macular
Degeneração Macular Relacionada á Idade (DMRI) é uma condição médica geral dos adultos mais velhos, que resulta em uma perda central da visão (a mácula), devido a danos na retina. Constitui hoje a principal causa de cegueira legal no mundo ocidental, em faixas etárias superiores a 50 anos. Torna difícil ou impossível de ler ou reconhecer rostos, embora permaneça visão periférica suficiente para permitir outras atividades da vida diária.
Em linhas gerais, a DMRI consiste no envelhecimento da retina, tecido responsável pela captação de imagem visível. Ocorre em duas formas: tipo "seca" e tipo "úmida". O tratamento preventivo é realizado com suplementos vitamínicos e antioxidantes.
 
 
Descolamento de Retina
Descolamento de retina é uma enfermidade do olho caracterizada pela separação entre a retina sensorial e o epitélio pigmentar da retina. Pode ser causado por trauma ou pela existência prévia de uma pequena ruptura por onde o fluido intra-ocular entra e força a separação das camadas. O tratamento é cirúrgico.
 
 
Estrabismo
O estrabismo corresponde à perda do paralelismo entre os olhos. Pessoas com estrabismo são chamadas popularmente de "vesgas". Existem três formas de estrabismo, o mais comum é o convergente (desvio dos olhos para dentro), mas podem ser também divergentes (desvio para fora) ou verticais (um olho fica mais alto ou mais baixo do que o outro). É importante causa de ambliopia. O tratamento se dá por uso de correção óptica (óculos), exercícios ortópticos e cirurgia em alguns casos.
 
 
Glaucoma
Glaucoma é a designação genérica de um grupo de doenças que atingem o nervo óptico e envolvem a perda de células ganglionares da retina num padrão característico de neuropatia ótica progressiva. A pressão intra-ocular elevada é um fator de risco significativo para o desenvolvimento de glaucoma, não existindo contudo uma relação causal direta entre um determinado valor da pressão intra-ocular e o aparecimento da doença - enquanto uma pessoa pode desenvolver dano no nervo com pressões relativamente baixas outra pode ter pressão intra-ocular elevada durante anos sem apresentar lesões. Se não for tratado o glaucoma leva ao dano permanente do disco ótico da retina, causando uma perda progressiva do campo visual, que pode progredir para cegueira.
 
 
Hipermetropia
Hipermetropia é o nome dado ao erro de focalização da imagem no olho, fazendo com que a imagem seja formada após a retina. Isso acontece principalmente porque o olho do hipermétrope é um pouco menor do que o normal. Outras causas incluem situações onde a córnea ou o cristalino apresentam alterações no seu formato que diminuem o seu poder refrativo, como a megalocórnea, onde a córnea é mais plana do que deveria ser.
O hipermétrope geralmente tem boa visão para longe, pois o seu grau, se não for muito elevado, é corrigido pelo aumento do poder dióptrico do cristalino, processo designado de acomodação. No entanto, na tentativa de focalizar a imagem para perto, a acomodação se torna insuficiente, o que faz com que o mesmo ou não consiga focalizar a imagem ou sinta desconforto visual, geralmente referido como cansaço, ou dor de cabeça.
A maioria das crianças apresenta hipermetropia, uma vez que os seus olhos normalmente são menores do que deveriam ser, contudo, têm um maior poder de acomodação do que os adultos, e suportam graus muito mais elevados de hipermetropia. O grau do hipermétrope, geralmente diminui com o crescimento do olho, e é comum assistir a pessoas que necessitavam de óculos durante a infância, mas que deixaram de os usar na idade adulta. A Hipermetropia pode também estar associada ao aparecimento de estrabismo acomodativo convergente na infância.
 
 
Miopia
Miopia ou hipometropia (termo este quase não utilizado) é o distúrbio visual que acarreta uma focalização da imagem antes dela chegar à retina. Uma pessoa míope consegue ver objetos próximos com nitidez, mas os distantes são visualizados como se estivessem embaçados (desfocados). Para uma visão mais acurada, o ponto focal dos raios luminosos devem convergir para uma área próxima aos receptores de luz (localizados na retina).
Excesso de poder dióptrico positivo do cristalino; Aumento da curvatura da córnea e, por conseguinte, de seu poder dióptrico positivo; Comprimento do globo ocular aumentado; Combinação dos fatores anteriores.
 
 
Moscas Volantes
Moscas volantes, ou muscae volitantes (Latim: "moscas esvoaçantes"), são fenômenos entópticos caracterizados por formas semelhantes a sombras que aparecem sozinhas ou junto com muitas outras no campo visual do indivíduo.
Eles podem ter a forma de pontos, linhas, ou fragmentos de teias de aranhas, que flutuam vagarosamente em frente aos olhos. Essas opacidades estão relacionadas ao descolamento do vítreo posterior.
 
 
Olho Seco
Causado por uma disfunção do filme lacrimal, que pode ser por diminuição na quantidade ou perda da qualidade do filme lacrimal. Os sintomas são: sensação de queimação, de corpo estranho nos olhos, e embaçamento visual. Pode ter lacrimejamento em contato com fumaça, vento, calor e baixa de temperatura. Algumas vezes está associado a doenças reumáticas, drogas, deficiência de vitamina A, etc... O paciente deve procurar o oftalmologista para o diagnóstico e tratamento.
 
 
Presbiopia
Presbiopia é a diminuição fisiológica da capacidade de acomodação do olho, por diminuição da elasticidade do cristalino. É um erro refrativo popularmente conhecida como "vista cansada" e que atinge as pessoas, normalmente, a partir dos 40 anos, causando diminuição da visão para perto. Seu tratamento se dá por uso de lentes corretivas ou por cirurgia.
 
 
Pterígio
O pterígio é o crescimento do tecido vascularizado da conjuntiva de forma triangular que se estende do ângulo interno (nasal) do olho em direção à córnea. Não é infeccioso, mas pode afetar a visão. É mais frequente nos países de clima tropical e predomina no sexo masculino. Pode ser tratado através de remoção cirúrgica.
 
 
Retinoblastoma
O retinoblastoma é um tumor maligno da retina desenvolvido a partir dos retinoblastos. Ocorre na maior parte dos casos em crianças pequenas e representa 2,5% a 4% de todas neoplasias malignas da infância. A incidência anual estimada é de aproximadamente 4 afetadas a cada um milhão de crianças. O tumor pode ter início em um ou em ambos os olhos e se o diagnóstico for tardio pode exibir lesão extra-ocular. Esta doença pode ser hereditária ou não.
A forma herdada pode apresentar-se em um ou ambos os olhos e geralmente afeta as crianças menores.
O retinoblastoma presente em só um olho não é hereditário e afeta, sobretudo, crianças com mais idade. Quando a enfermidade se apresenta em ambos os olhos é sempre hereditária. Devido ao fator hereditário, os pacientes e seus irmãos devem submeter-se a exames periódicos, juntamente com terapia genética para determinar o risco que têm em desenvolver o tumor.O principal sinal do retinoblastoma é a leucocoria (pupila branca), e muitas vezes esse sinal é observado em uma fotografia da criança.
A escolha do tratamento dependerá da extensão do mal dentro do olho e para além deste. Os tumores pequenos podem ser removidos com tratamento a laser, com termoterapia ou crioterapia. Se o mal for ou puder vir a tornar-se irreparável, há possibilidade de remoção do olho (enucleação) para cura total do retinoblastoma.
 
 
Retinose Pigmentar
A retinite pigmentosa ou retinose pigmentar (ou retinitis pigmentosa, retinopathia pigmentosa, RP) é uma doença genética, que acomete a retina causando destruição dos fotorreceptores. O paciente apresenta baixa de visão progressiva, cegueira noturna, e perda progressiva do campo visual. A perda de percepção das cores e tonalidades em contrastes também acomete de forma gradual o paciente.
 
 
Terçol
Um hordéolo (conhecido popularmente como terçol) é um pequeno abscesso que ocorre na borda das pálpebras causado pela obstrução de glândulas sebáceas, com proliferação de microorganismos. O hordéolo não comporta nenhuma gravidade especial, mas pode ser muito doloroso. A inflamação normalmente é causada por uma infecção bacteriana (Staphylococcus) e ocorre com muito mais freqüência em crianças. Quando tratados com compressas quentes, os hordéolos desaparecem em cerca de uma semana.
 
 
Tracoma
Tracoma é uma doença oftálmica altamente contagiosa, de etiologia bacteriana, causadora de comprometimentos na córnea e na conjuntiva. Provoca fotofobia, dor e lacrimejamento, podendo levar à cegueira por danos causados na córnea. É causada pela bactéria Chlamydia trachomatis e é transmitida por contato direto com os olhos, nariz e secreções bucais de indivíduos afetados, ou então através de objetos que estiveram em contato com essas secreções. O tracoma atinge cerca de 400 milhões de indivíduos em todo o mundo, com maior incidência em locais com higiene pobre e sem saneamento básico.
 
 
Uveíte
A uveíte é uma doença decorrente de uma inflamação da úvea, que é formada pela íris, corpo ciliar e coróide. A uveíte pode ser anterior (irite, iridociclite), intermediária (pars planite) e posterior (coriorretinite, retinite e coroidite). As uveítes podem ser de causa infecciosa (bactérias, fungos, vírus e protozoários), autoimune ou idiopática (causa desconhecida). Dependendo da sua gravidade e extensão pode levar à perda importante da visão. O tratamento das uveítes se faz, na maioria dos casos, através de medicação (oral e colírios). É comum o uso de corticóide, antibiótico e, em determinados casos, imunossupressores. Mais em: www.wikipedia.org
 
 

Dicas

Dicas de saúde e cuidado com os óculos.

Óculos e lentes de contato devem ser prescritos por Oftalmologistas

Mesmo que possa significar uma aparente economia, adquirir óculos ou lentes de contato sem a prescrição e o acompanhamento de um oftalmologista pode acabar custando caro. A avaliação é da Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria (Soblec), alertando que a cada quatro brasileiros que necessitam de óculos ou lentes de contato, dois fazem o uso de maneira inadequada. Óculos e lentes de contato são encontrados em locais absolutamente reprováveis pela sociedade médica, que passou a atentar mais sobre a questão nos últimos três anos, devido ao alto índice de pacientes que passaram a apresentar quadros clínicos deficitários em razão das irregularidades.

 

 

Assepsia para conjuntivite

  • Limpeza do olho, pálpebras e das secreções produzidas (usar soro fisiológico esterilizado e compressas esterilizadas);
  • Muito importante: Nunca tocar com a superfície das embalagens no olho ou pálpebra quando da aplicação, para evitar a contaminação das soluções (colírios e pomadas);
  • Para poder melhor diagnosticar a causa da conjuntivite, é aconselhável a ida a um serviço de urgência oftalmológico, onde o médico poderá retirar uma amostra das secreções purulentas produzidas pelos olhos e analisar em termos bacteriológicos e viral, na tentativa de descobrir qual o agente causador da conjuntivite.

 

 

Como pingar colírio

  1. Lave bem as mãos;
  2. Incline a cabeça levemente para trás e olhe para cima;
  3. Puxe a pálpebra inferior utilizando o dedo indicador;
  4. Instile uma gota do colírio dentro da bolsa formada pela pálpebra;
  5. Evite tocar a ponta do bico conta-gotas ou tubo da pomada nos tecidos oculares (nos olhos);
  6. Para sua segurança, o mesmo colírio não deve ser usado por mais de um paciente;
  7. Se estiver usando lentes de contato, retire as lentes ao colocar o colírio e as recoloque após 5 min.;
  8. Ao utilizar dois ou mais colírios diferentes, dê um intervalo de 5 minutos entre eles para que cada um possa fazer seu efeito;
  9. Não use remédio sem o conhecimento do seu médico, pode ser muito perigoso para sua saúde.

 

 

Rotina de consulta
 
Muitas causas de perda de visão podem ser evitadas se a consulta a um Oftalmologista e a conseqüente realização de exames de diagnóstico oftalmológicos estiverem nos hábitos das pessoas. Os oftalmologistas são unânimes em afirmar que tais consultas médicas devem ocorrer em todas as etapas da vida. Desde o planejamento da gravidez, a preocupação com a saúde ocular deve ser observada. Na fase adulta a consulta deve ocorrer ao menos uma vez por ano, aumentando esta periodicidade para as idades acima dos 40 anos ou então para hipertensos, diabéticos e aqueles que já diagnosticaram patologias da visão e dos olhos.

 

 
 

Dúvidas Frequentes

Mitos e dizeres populares, o que é verdade e o que é mentira.
A cirurgia de catarata pode ser feita com laser?
Não. O laser é confundido com um aparelho chamado facoemulsificador que dissolve a catara durante a sua remoção cirúrgica. A energia utilizada é ultrassônica.
 
 
Ler com pouca luz prejudica a visão?
Não. Pode cansar ou dificultar a leitura, mas não prejudica a visão.
 
 
Ler em um carro ou ônibus em movimento prejudica a visão?
Não. Pode ocorrer apenas um desconforto, que pode causar dor de cabeça.
 
 
Como é descoberta da doença Glaucoma?
O glaucoma pode ser detectado somente após um exame oftalmológico cuidadoso, em que o médico faz a medida da pressão intra-ocular e o exame do fundo de olho, por meio de aparelhos apropriados.
 
 
A cirurgia refrativa dói?
Não. São utilizadas apenas gotas de colírio anestésico, que são eficientes para eliminar a dor no ato operatório.
 
 
Glaucoma. O que o paciente sente?
No tipo mais freqüente, no início da doença, geralmente o paciente não sente nada nos olhos e a visão é normal. Na maioria dos casos o glaucoma progride lentamente sem que o paciente perceba a perda gradual da visão lateral. Alguns raros pacientes poderão ter sintomas oculares não bem definidos como dor nos olhos ou ao redor deles.
 
 
Como minimizar os efeitos oculares do diabetes?
Inicialmente é importante ter um seguimento com o endocrinologista ou clínico geral, seguindo rigorosamente suas orientações. O diabetes exige que se respeite uma série de regras, que não irão diminuir sua qualidade de vida, sendo necessária apenas adaptar-se a uma nova realidade. É importante também consultar regularmente o oftalmologista para que sejam feitos os exames de rotina, com especial atenção ao exame de fundo de olho.
 
 
O diabetes pode afetar a visão?
Certamente que sim. Vem daí a importância de manter um bom controle da glicemia e visitar o oftalmologista anualmente ou a critério do seu médico.
 
 
De que maneira o Laser atua no olho nas cirurgias refrativas?
Na miopia o Excimer Laser é aplicado na área central da córnea, retirando tecido para que haja diminuição na curvatura corneana. Na hipermetropia, realiza-se retirada de tecido na periferia da córnea, aumentando sua curvatura. No astigmatismo, o tratamento é realizado aplanando ou encurvando a córnea em um determinado eixo. Um feixe de luz ultravioleta invisível e sem calor é formado e, controlado por computador, pode retirar camadas de tecido corneano com precisão microscópica.
 
 
Posso usar lentes de contato com maquiagem?
Sim, mas você deverá primeiro colocar as lentes de contato e depois se maquiar.
 
 
Quais os tipos de lentes de contato disponíveis no mercado?
Gelatinosa, de troca anual, gelatinosas descartáveis, troca mensal, quinzenal, semanal ou diária e as rígidas, de troca anual.
 
 
As lentes de contato podem se deslocar para trás do olho?
Em nenhuma hipótese. Os olhos são revestidos pela conjuntiva, que torna impossível a movimentação da lente para trás do olho.
 
 
Quanto tempo é necessário para adaptação total às lentes de contato?
Alguns usuários adaptam-se imediatamente e não apresentam qualquer problema de adaptação. Mas os especialistas consideram normal o período de dez dias para a adaptação plena. Durante esta fase, o usuário deve ser acompanhado de perto por um oftalmologista.
 
 
Durante as crises de enxaqueca podem ocorrer sintomas visuais?
Os sintomas visuais, por precederem a dor, logo servem de alerta para o paciente já experiente e este procura evitá-la com a medicação conhecida. Este tratamento é apenas sintomático, quer dizer, livra-o da crise, mas, não evita que possa ter outras, a menos que se descubra uma causa definida. O oftalmologista faz a consulta básica, com atenção especial para o fundo-de-olho. O acompanhamento é em conjunto com o neurologista.
 
 
O que pode ocorrer a uma pessoa portadora de miopia elevada?
Na miopia elevada geralmente os olhos têm grande diâmetro. Existe uma chamada degeneração miópica, visível ao exame de fundo-de-olho. Em consequência, a vitalidade da retina é diminuída, aparecem zonas de degeneração periférica e há uma certo risco de descolamento da retina, maior que em outras pessoas. Temos muitos pacientes com graus elevados que atravessam a vida toda sem maiores problemas.
 
 
Ver televisão muito de perto pode prejudicar os olhos?
Não. Televisão, videogames e computadores não causam danos aos olhos. Pode ocorrer um cansaço, mas isto não prejudica a visão. Porém o hábito de olhar objetos de perto pode indicar miopia.